9.9.16

USEI A BUCETA PARA SER PROMOVIDA NA EMPRESA. SOU PUTA?

Recebemos essa história de uma leitora que tem uma dúvida:
Me chamo Mayumi, sansei, tenho 32 anos, moro em Santana - Zona Norte de SP. Sou casada há oito anos com Takashi, também sansei, que me deu dois filhos lindos. Apesar da idade me acho gostosa (coxas grossas e seios pequenos mas durinhos). Deve ser a genética, porque não "malho", faço apenas um pouco de esteira quando posso.
Minha vida mudou completamente quando, ao chegar em casa após o trabalho, meu marido estava me esperando com uma "bomba"
- Amor, fui demitido. Estou arrasado! 
Isso mesmo, assim como milhões de brasileiros, Takashi havia perdido o emprego. Pensei comigo "fodeu"! Havíamos feito a viagem dos nossos sonhos para o Japão e tínhamos prestação da moto e do carro para pagar, escola dos meninos e zero de economias, não sei como faríamos para pagar nossas dividas.
- E agora Takashi o que faremos??
- Calma, não sei, mas algo há de acontecer e tudo se resolverá! 
Sabia que só com o salário que ganho não teríamos recursos para manter o padrão de vida que levávamos. A salvação estava na tão prometida promoção para um cargo de gerência de vendas, com o dobro do meu salário e mais as comissões!
Dois meses se passaram Takashi não arrumava emprego e para piorar, entrou em depressão começou a beber todas as noites. O Sexo que já era raro agora então! Na minha casa nem dinheiro e nem foda! 
Foi quando resolvi marcar uma conversa com Doutor Geraldo, o dono da empresa, para tentar acelerar minha promoção, pedir que ele me desse o cargo que estava vago a certo tempo.
-Doutor Geraldo preciso conversar em particular com o senhor.
-Já te chamo Mayumi.

Neste dia, apesar de ser conservadora, resolvi usar todas as minhas armas inclusive meu corpão - Seios, bunda e nas coxas que sabia que meu chefe "apreciava", pois, sempre dava "secadas e encaradas" e fazia elogios me chamando de "Carol Nakamura".
Fui trabalhar com um vestido preto que deixava bem marcada minha pequena calcinha e minha bunda, sem contar o decote generoso e sem sutiã, que as vezes pela temperatura do ar condicionado deixavam os biquinhos dos meus seios durinhos.

Quando entrei na sala, doutor Geraldo estava ao telefone. Aproveitei debrucei na janela deixando o que tenho de melhor - minha bunda empinadinha para ele apreciar. Seus olhares me devoravam, fazendo com que eu parecesse estar completamente nua em sua frente.
- Senta Mayumi. O que aconteceu para a Sra. me dar a honra de sua visita?
- Doutor Geraldo durante todos esses anos que trabalho aqui sempre fui uma funcionária "que vesti a camisa da empresa". Sei que o cargo de gerência de vendas esta vago e sei que tenho competência para assumir essa função.
- Mayumi, esse assunto é longo, precisamos conversar com calma. O melhor é deixarmos para após o expediente quando estaremos tranquilos...
- Claro doutor Geraldo volto às 19 h. ok?

Ele me acompanhou até a porta da sala e percebi um volume na parte da frente da sua calça. Estava de pau duro!

Como combinado voltei à sala dele no horário marcado. O chefe abriu a porta, me seguiu com os olhos ate eu sentar e trancou a porta!
- Vamos sentar ali no sofá, ficaremos mais à vontade para conversarmos!
- Claro. (já tinha entendido as intenções dele!)
- Mayumi, acho que você tem todas as qualidades para o cargo e tem também outros atributos que eu admiro...
- Obrigada. Fico lisonjeada e nem sei o que falar.



Ele foi chegando perto, colocou a mão nas minhas pernas e tentou me beijar.
- Doutor Geraldo, por favor, não... Sou casada e nunca tive relações fora do casamento, nunca trai meu marido.
- Mayumi também sou casado, mas sempre tive muito tesão por você! Desde o momento em que você entrou aqui na empresa...
- Eu também te acho muito atraente (achava de verdade, o cara era um coroa cheiroso e gostoso)... Mas isso vai nos causar problemas, mais ainda dos que já tenho!
Resolvi abrir o jogo e contar o que se passava na minha casa. Na situação delicada que estávamos passando a demissão e depressão do meu marido.
- Poxa, que chato! Sinto muito... Mas agora que assumirá a gerência, além de ganhar mais, ficaremos mais próximos rsrs. 
Fiquei feliz e emocionada com a resposta positiva dele! doutor Geraldo me abraçou e me beijou... Não resisti àquela boca! Colocou suas mãos em minhas coxas... Foi subindo com suas mãos abaixou a alça do meu vestido e começou a chupar o bico do meu peitinho!


Você é mais gostosa do que eu imaginava. Tinha a vontade de comer uma japonesinha! E para de me chamar de doutor!
Levantou meu vestido e acariciou e enfiou os dedos na minha buceta que já estava muito melada (eu não via uma rola já fazia um bom tempo). Desabotoei a calça dele e enfiei aquela rola grande e dura na minha boca !
Estava com muito tesão. Abri bem minhas pernas e sentia seus dedos tocando meu grelo e me penetrando com força. Me pegou no colo e me colocou em cima em da sua mesa de trabalho. Tirou minha calcinha e chupou minha buceta.
Por um momento pensei no meu marido que me esperava em casa, enquanto eu estava ali dando pro meu chefe, sendo chupada e dando minha xoxota para garantir minha promoção. Geraldo fodia gostoso sabia tocar no ponto certo, fazendo com que eu amolecesse, fugindo da razão para dar lugar ao tesão.
Me puxou para a ponta da mesa, colocou a cabeça do pau na minha bucetinha ( o pau dele era muito maior que o do meu marido, muito mais grosso!) achei que não aguentaria levar aquela vara toda.
- Que pau grande! Coloca devagar porque "ela" nunca sentiu uma rola desse tamanho! Você sabe que sou casada com um japonês rsrs
Ele "quase" obedeceu rsrs. Colocou a cabeça devagar e empurrou a rola com força para dentro. Senti uma dorzinha, mas depois fui relaxando e me deliciando com aquela pica enorme entrando e saindo, rasgando e esfolando minha bucetinha.
- Gostosa, rebola no meu pau japonesa putinha... Você será minha amante, minha "Carol Nakamura" e vamos nos divertir muito!
Isso me deixava louca, nunca tinha acontecido antes, não aguentei e gozei.
Neste momento meu telefone tocou. Sabia que era meu marido preocupado e ansioso querendo noticias sobre a promoção. Mal sabia ele! 
- Quer atender?
- Não, melhor não...



Geraldo que colou de quatro abriu minha bundinha e com a língua ia molhando e lubrificando a entrada do meu cuzinho.
Sabia o que ele queria e deixei: comer meu rabinho seminovo (meu marido pouco usou). Foi enfiando o pau grosso. Senti dor e prazer ao mesmo tempo. Quando entrou tudo ele passou a massagear a minha bucetinha num movimento de vai e vem. Gozei pelo cu, nunca tinha acontecido isso! Geraldo também explodiu num gozo fantástico. Nunca vi tanta porra e tanto líquido junto.
Estava mole, desfalecida.
Já era tarde e eu queria ir embora contar as novidades (não todas claro) para o maridão!
Usei minha buceta para garantir meu emprego. Sou puta?
O que vocês acham?

7 comentários:

Filósofa da Laje disse...

well...diz o povo que a mulher só sabe na vida fudendo e o homem roubando...

{Λїtą}_ŞT disse...

Ah é puta sim! E que bom que é!
Vim desejar um fim de semana repleto de alegrias a prazeres.

Beijos

http://odiariodaescrava.blogspot.com.br/

Larissa Santos disse...

Maravilhoso romance! Excelentes fotos, divinas. Gostei da crista dele :-)

Bjos
Gostava de receber tua visita, ao nosso blogue

http://deliriosamoresexo.blogspot.pt/

Anônimo disse...

Muiiiiito puta!

Beto

maxcasado disse...

Minha esposa não usou a buceta para ser promovida na empresa mas tem uma boa posição de chefia e um caso com o patrão que também é casado já a oito meses . Só começamos a sair a três a apenas dois meses pois ele ficava sem graça . Hoje vamos os três para o motel e entre fodas e fodidas relaxamos tomando uma cerveja e el e minha esposa agarradinhos como se fossem namorados .Hoje ela resolveu mudar de emprego mas o patrão que já era um grande colega , ´hoje é um grande amigo para nossas diversões .

SeximaginariuM disse...

Maxcasado muito bom seus comentarios! vc podia colaborar com o blog mandando estorias suas de sua esposa e do patrao

Anônimo disse...

Ja pequei minha secretaria novinha e gostosa e com o tempo o marido ficou sabendo
Veio falar comigo sobre isso. Ficamos amigos e pago tudo na casa dele. Quando vou viajar com ela ele me liga me pedindo pra cuidar bem dela. E eu cuido muito bem. Nos sentimos mais tesao e trepamos muito porque tudo fica em familia.