17.8.14

O DELICIOSO MUNDO SENSUAL DE @moniquevondorf

"Meu nome é Monique Von Dorf @moniquevondorf e sou uma "acompanhante". Aí, vocês me perguntam: Oh Monique, mas acompanhante não é o mesmo que "puta"???
Então, não sei no caso de outras pessoas, mas no meu caso não. Por que me defino acompanhante e não "Puta"? Simples: Além do prazer que proporciono na cama, das carícias e etc, também estou lá como amante, conselheira, alguém que os clientes acabam se abrindo e desabafando. Não sou mero objeto de prazer, mas sim alguém que empresta seu ombro amigo e outras "cositas" mais para que o cliente se sinta melhor.
Hum, tá Monique! Mas então porque você resolveu se tornar "acompanhante"?
Me tornei acompanhante pelo simples prazer de proporcionar prazer. Gente, se tem tanta menina por aí "dando de graça" e ainda levando nome de puta, por que eu não podia juntar o útil ao agradável? Juntei todo meu tesão e prazer e assim nasceu a Monique."

Dezembro de 2013

http://moniquevondorf.blogspot.com.br


Leo: Ser garota de programa é vocação, diversão ou perversão?
Monique: No meu caso é diversão. Minha condição financeira sempre foi boa, tive uma educação boa, os programas vieram como forma de alcançar mais prazer.
Leo: O que "rola" nesse "mundinho" de fantasias sexuais e diversão?
Monique: Entrega, companheirismo. Gosto de envolvimento, de olho no olho. E não meço esforços para satisfazer o cliente e a mim mesma.
Leo: O que de mais “trash” ou bizarro aconteceu com vc numa transa?
Monique: Um cliente pediu que eu chutasse os testículos dele. Obviamente não aceitei.
Leo: Ninguém te pediu uma chuva dourada - que vc fizesse xixi no cara?
Monique: Já me perguntaram se eu fazia. Mas não curto esses tipos de fantasias.

Leo: E mulheres?
Monique: Curto mulheres sim. E já atendi diversas mulheres e casais.
Leo: Alguma senhora com cara de "caretona" já procurou seus serviços? Conte para nós como foi?
Monique: Já sim. Uma senhora na faixa de uns 50 anos me procurou interessada em um “ménage”. Chegou a marcar, mas desistiu de última hora.
As mulheres que me procuram estão na faixa dos 30 a 40 anos. A maioria interessada em saber como é ficar com uma mulher, buscam essa experiência. Outras interessadas em realizar o tão sonhado “ménage” pelos companheiros.

“Aquela mulher tão linda, e tão interessante falando de coisas que me agradavam. Nos olhávamos fixamente, e cada vez mais perto, foi quando tomei a iniciativa e a beijei.
Levantei a sua blusa e beijei os seus seios, fartos e deliciosos. E cada vez que ela gemia eu beijava e lambia cada vez mais.
Desci a minha mão e a senti ela tão entregue, tão molhada. Tirei a sua saia e a chupei como nunca havia antes.
Vê-la ali, tão entregue ao prazer, gemendo e gemendo cada vez mais me levou ao êxtase. E isso se repetiu por longas horas, ao ponto de perdermos o fôlego. Tereza era incrível!”.

TEREZA



Leo: Do que os seus clientes mais gostam: sexo animal, suruba, papai-mamãe, fio terra, inversão...?
Monique: Os meus gostam de envolvimento. De realmente ter uma companhia. E quando estou com eles não me diferencio de uma namorada. Sou carinhosa, atenciosa, e eles gostam disso.
Leo: Já tirou o cabacinho de algum garoto?
Monique: Sim. Mas não como acompanhante. Tive um namorado que era virgem quando começamos a namorar. Eu era uns 4 anos mais velha que ele. Rsrs
Não teve muita diferença de um que não era. Ele só não sabia colocar o preservativo. Rsrs
Leo: Um transa mais tesudinha?
Monique: Já tive muitas que me deixaram de pernas bambas rsrs. Recentemente atendi um cliente vindo de NY. Ele se hospedou em um hotel na região da Avenida Paulista - São Paulo. Me passou o número do quarto e eu fui. Ao tocar a campainha me deparei com um sósia do Gianecchini... Fiquei de pernas bambas. O cara além de um semideus também tinha pegada. Voltei pra casa nas nuvens.
Leo: Quais são as suas fantasias sexuais?
Monique: Realizei quase todas. Eu sei que é meio clichê, mas adoraria transar em um avião. Rs
Leo: Quais a que vc realizou?
Monique: Transar no mar, ir a casas de swing, menages etc... Tudo normalzinho. Rs
Mas uma que adorei foi ir a um morro que se via todas as luzes de uma cidade onde morei. Transamos no capô do carro. Rs
"No momento em que já nos encontrávamos nus, ainda confabulávamos pornograficamente palavras soltas. Jogados na cama, nos entrelaçávamos e cruzávamos nossos corpos. Sua boca vagarosamente beijando meus seios enquanto seus dedos massageavam meu sexo, faziam-me contorcer de prazer.
Enquanto ele tomava gosto da excitação vaginal, eu me acabava em delírios e gemidos.
Deslizei a minha boca pelo seu peito, descendo pela barriga a beijando carinhosamente,até chegar no seu membro.O beijei com delicadeza, e então o coloquei todo na minha boca, chupando e beijando com toda a minha dedicação.
Ele me tomou por cima e me penetrou, eu o sentia todo dentro de mim. E quanto mais com força me penetrava mais eu gemia e gritava escandalosamente.
O rádio nessa hora cantarolava Jazz e eu suspirava ofegantemente no cavalgar de um alazão. Ele sentia prazer enquanto acariciava meus seios. Nesse exercício erótico, não havia posição que não conhecíamos. Cada toque era um gemido e cada "ai" uma excitação.
Não deu mais para segurar, chegamos juntos ao desfecho do nosso congresso carnal."
AH! MARCELO...


Um comentário:

Anônimo disse...

Puta psicóloga, entendi.