30.9.12

O LEILÃO DE UM CABACINHO NACIONAL

Catarina Migliorini, 20 anos, natural de Itapema, Santa Catarina, decidiu se inscrever em um concurso para participar de um documentário e leiloar sua virgindade. 
A inscrição foi há dois anos e o produtor australiano Justin Sisely logo chamou a menina, então com 18 anos, para fazer um teste em vídeo.

"Eu era novinha e por ser virgem decidi me candidatar. Era uma oportunidade de viajar, conhecer novas culturas, mas não esperava uma resposta. Quando o diretor me escolheu, fiquei super feliz e decidi ir até o fim", diz ela que confessou também que decidiu tudo no impulso!

No início, a mãe de Catarina achou que a participação da jovem em um leilão da virgindade fosse brincadeira.
"Não achei que ela fosse levar a sério", afirma a mãe, que pede para não ser identificada para preservar a família.
Ela conta que tentou conversar com a filha sobre o assunto.
"Eu falava para ela: pensa bem, você está mesmo a fim de fazer isso? Eu nunca falei: vai. E não posso falar: não, não vai. Mas, no fundo, não gostaria que ela fosse."
A mãe, diz ainda respeitar a decisão da filha. E afirma que tenta relevar as críticas.
"Não achei que fosse ter a importância que teve. Já me chamaram até de cafetina. Não apoio a decisão, mas estou junto com ela porque a amo incondicionalmente. Eu sei que ela é uma boa pessoa. Sempre falo: filha, você não é obrigada a nada. Ela fala: mãe, fica tranquila", conta.
As filmagens do documentário começaram há cerca de um mês, em Bali, na Indonésia. A produção faz parte do projeto. O vídeo vai registrar a história da jovem e os preparativos para o leilão, até o dia em que deve ocorrer sua primeira noite. 


"Eles filmam meu dia a dia, meu novos amigos aqui, eu falando com a minha mãe, minhas reações", explica Catarina. O documentário ainda não tem previsão de lançamento.

LEILÃO

Até á última terça-feira (25), dez lances já tinham sido dados para comprar a virgindade de Catarina. O lance mais alto foi feito no dia 25 de setembro: US$ 155 mil (cerca de R$ 310 mil). O último dia do leilão será em 15 de outubro e a primeira relação de Catarina deve acontecer cerca de dez dias depois, em uma viagem de avião da Austrália até os Estados Unidos. "Essa decisão foi tomada para que não tenha problema com a lei de nenhum país", diz a garota.

RHOLA MAGAZINE N.7


27.9.12

SEXO ORAL PROVOCA CÂNCER DE GARGANTA!

Tabaco e o consumo de bebidas alcoólicas sempre foram apontados como um dos principais fatores para desenvolvimento de câncer na região da garganta. Pois agora cientistas afirmam que o sexo oral ocupa o topo da lista entre os comportamentos de risco.
Arlete Gavranic, do Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática afirma que "alguém infectado com o tipo de vírus associado ao câncer de garganta tem 14 vezes mais chances de desenvolver a doença".  

23.9.12

LA MASTURBACIÓN DA VEREADORA ESPANHOLA

Vereadora Olvido Hormigos Carpio, do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), tava ali cheia de tesão, com saudades do seu namorado, o goleiro do time local Carlos Sanchéz Ramírez de 27 anos...resolveu fazer um video erótico se masturbando até gozar!
A vereadora, que é casada e tem dois filhos, afirmou que gravou esse vídeo em sua casa e que as imagens eram destinadas a seu marido. Ninguem acreditou na versão...
Mas como o vídeo erótico "caiu" na rede?
O golerão ficou puto com o "pé-na-bunda" que levou da vereadora e postou a "sirica" no YouPorn - portal de conteúdo sexual - que, em poucos dias se espalhou pelas redes sociais.
Oblivion recebeu inúmeros emails de apoio. No Twitter foi lançado um movimento para que ela não se demiti-se com a hashtag #olvidonodimitas ou #yotambienmemasturbo. O impacto foi tamanho que os líderes do PSOE, pediram que ela reconsidera-se a decisão de renuncia.
Na manhã de quinta-feira, durante uma turnê de entrevistas para várias estações de rádio e televisão, Olvido Hormigos Carpio anunciou que continuará no cargo!

16.9.12

UM PRESENTÃO DA @CoisasdaPimenta PARA NÓS

Terminado o #lingerieday 2012, realizadas as premiações, fizemos uma proposta para a @CoisasdaPimenta que ela fizesse um ensaio mostrando o prêmio. A delicinha topou e mostrou sua nova lingerie!
Aproveitamos o "ensejo" fizemos um talksexi apimentado com a delicinha "uma mulher rockeira porque tem bom gosto, passou dos 30 porque a vida quis, Fiona de tudo porque é o que tem prá hoje. Aqui a linguagem é a do boteco. Se gostar, puxe uma cadeira e peça mais uma cerveja".
 
LEO: Como foi participar do #lingerieday 2012?
PIMENTA: Curti prá caramba! As fotos já estavam planejadas e, no fim, renderam premiação em 2 espaços virtuais - o Blog SeximaginariuM e o Twitter do canal porn Sexy Hot.  Acho que toda mulher deveria, inclusive, se permitir fotografar de lingerie, mesmo que não seja para divulgação. Dá uma sensação muito boa!

LEO: O que um homem tem que fazer para você tirar a sua lingerie?
PIMENTA: Há tantas respostas para esta pergunta que só posso resumir com algo bem clichê: tem que rolar a química. É essa química inicial que vai definir, inclusive, se vou tirar a lingerie para ele mais de uma vez.
 
LEO: Pra que tipo de homem você não mostra nem a rendinha da lingerie?
PIMENTA: Pro tipinho "Meu pau é o centro do universo." Não suporto! 


LEO: E o blog a pimentinha e suas coisas muito texto pouca imagem... é um diário sensual...fale sobre ele?
PIMENTA: O blog surgiu da ideia de compartilhar algumas experiências. A gente só fala bem sobre aquilo que conhece, não é verdade?
 Tenho apenas um texto que é relato masturbacao-mutua-na-marginal-pinheiros, que foi publicado anteriormente num blog que criei com um ex-namorado.
Tem também um desabafo que me ajudou a superar uma dor de ego ferido (http://apimentinhaesuascoisas.wordpress.com/2012/07/07/hd883/) De resto, junto inspirações a boas lembranças que resultam nos contos que vão para o ar.
A falta de imagens é proposital. Gosto muito de ler (livros em geral) e criar os personagens e cenários em minha mente. A ideia é justamente a de dar ao leitor esta mesma possibilidade, a de exercitar sua criatividade com base nas descrições cheias de detalhes. Uma boa dica é ler o conto "Culpa do Calor"

"Então eu comecei a tirar a roupa molhada da minha esposa, mas com um tesão incontrolável. Confesso que comecei tirando o sutiã dela antes mesmo de tirar a camiseta. Eu estava doido para ver aquela cena “Garota Camiseta Molhada”. Aqueles seios deliciosos e os bicos durinhos me deixavam irracional. E ela também estava louca, selvagem, tirando minhas roupas com fome, de me ter, de meter comigo. “Me lambe, meu cachorrinho. Vai, baby, me chupa um pouquinho antes?” Impossível resistir a este pedido dela. Coloquei a Bibi sobre o sofá e desci por entre suas pernas, sentindo a urgência de seu gozo pela respiração ofegante e pelo habitual jeito que mexia em meus cabelos."
Leia o Conto em:


LEO: Você acha que “nem todas as mulheres gostam de apanhar, só as normais”? (Nelson Rodrigues)
PIMENTA: Puxa, então eu sou normal =D
Tenho amigas que não suportam a ideia de apanhar, sentem-se humilhadas. Já eu gosto de levar uns tapinhas de leve no rosto (sou muito miúda, algo muito hard tende a me machucar) e uns tapas mais fortes no bumbum. Penso que os tapinhas e tapões no sexo nada têm a ver com uma violência categoria Maria da Penha. Para mim servem para aumentar o tesão, assim como uns palavrões, umas sacanagens ao pé do ouvido - ou gritadas para todos ouvirem - mas vai da cabeça de cada uma.

LEO: O que você pensa sobre os “brinquedinhos” femininos, as fantasias sexuais e outras formas de sexo como swing?
PIMENTA: Acho que tudo tem a intenção de liberar a criatividade e fazer com que a pessoa se conheça melhor. Tenho meu vibrador, mas nada substitui o "prazer com suor".
Confesso que sou careta, da linha "um é pouco, dois é bom...e três é demais". Já fiz menage uma vez, mas não interagi com a mulher, o foco era o cara. Foi bacana, mas não faço questão de fazer outras vezes. Matei a curiosidade e para mim já está de bom tamanho. Essa experiência me fez perceber que só curti a situação porque ambos eram meus amigos e não havia sentimento em relação a ele, mas que eu não sirvo para a "atividade a três", especialmente com um cara com quem eu tenha uma ligação sentimental - tenho uma dose de ciúmes que, embora moderada, não me permitiria conviver tranquilamente com as lembranças. Swing então nem pensam. É muito moderno para meu gosto e valores de vida.


LEO: Qual o lugar mais inusitado que você já fez sexo?
PIMENTA: Meus lugares inusitados são bem normais, viu? O mais perigoso, digamos assim, foi num antigo acostamento da Marginal Tietê (SP) - mas dentro do carro. Não sou fã de correr o risco de ser presa cometendo atos atentados ao pudor.

LEO: Uma fantasia...
PIMENTA: Transar em um mesmo quarto em que outro casal esteja transando.

LEO: Uma boa transa...
PIMENTA: Melhor não citar nenhuma, porque tenho tantas boas que acho injusto citar apenas uma. 

LEO: Uma transa ruim...
PIMENTA: No início da minha vida sexual (demorei bastante para decidir perder a virgindade), saí com um colega de trabalho que falava que fazia e acontecia. Na hora H, o ser humano teve ejaculação precoce. Fiquei com uma cara de "Ué...". 

LEO: O que te brocha num homem?
PIMENTA: Mente pequena e ego gigante. Ah, e bafo! (rs)


14.9.12

“A VIDA COMO ELA” É DO CASAL BARBIE E KEN

Afinal,o mundo cor-de-rosa da Barbie é assim tão rosa? Na visão da fotógrafa canadiana Dina Goldstein, o dia-a-dia do famoso casal da Mattel é dominado por dúvidas,ciúmes e vícios. O seu projeto "IN THE DOLLHOUSE" questiona a relação conjugal perfeita criada no imaginário de sucessivas gerações.
A Barbie, a boneca mais famosa do mundo, criada por Ruth Handler e Elliot Handler, tem mais de cinquenta anos, mas continua com a mesma aparência da juventude. Dois anos depois, chegou o namorado Ken. Se sozinha a Barbie já representava a imagem da perfeição, o casal passou a protagonizar um verdadeiro conto de fadas. Tava tudo muito bem, muito bom até que a fotógrafa canadiana Dina Goldstein resolveu desmistificar a história feliz do casal da Mattel.

As imagens de seu mais recente projeto "IN THE DOLLHOUSE" retratam o trágico, monótono e enfadonho dia-a-dia conjugal. Utilizando cenários idênticos aos das casas de bonecas e dois modelos de carne e osso, Dina transforma a Barbie numa personagem dominada por angústias, medos e vícios. Ou seja, aquilo que possivelmente sentiria, se fosse humana.

Sob esta ótica realista, aborda também a sua relação com Ken. Barbie vive um casamento infeliz, questiona-se sobre a sexualidade do marido e tenta esquecer os problemas refugiando-se no álcool. 


12.9.12

VESTIDO DE NOIVA SENSUAL E ERÓTICO

Vestido de noiva desenhados pela grife alemã Kaviar Gauche roubou a cena na Berlin Fashion Week 2012. Erótico e sensual, produzido para escandalizar as mais tradicional familia cristã, o traje nupcial se resume a um enorme véu transparente, que deixa o corpo da noiva à mostra, e cobre um maiô formado por faixas estrategicamente dispostas de modo que pouco seja revelado. Como acessório uma tiara com pedrarias e sapato fechado de salto todo bordado com apliques de lantejoulas laterais, o que deu um acabamento ainda mais inusitado ao modelito. 
Por trás da criação do vestido estão as estilistas alemãs Alexandra Fischer-Röhler e Johanna Kühl, que vêm ganhando destaque desde a criação da grife, em 2003.
O jornal inglês “Daily Mail” já aposta nas próximas celebridades que adorariam usar a polêmica peça. Entre os nomes citados, Lady Gaga e Rihanna.

7.9.12

NAKED BEFORE THE CAMERA

Couple / 327 Commonwealth Avenue John Goodman (American, born 1947)
The Metropolitan Museum of Art - New York apresenta a exposição "Naked before the Camera" (Nu perante a câmera). Com aproximadamente 60 imagens de artistas, - desde o século XIX até os anos 70 - a mostra traz imagens belíssimas, em preto e branco e em matizes de sépia, da história da fotografia erótica. 
"Nu perante a câmara" começa com fotografias do século XIX, época em que estas eram tiradas para facilitar o trabalho dos pintores, mas que se transformavam em obras de arte por si mesmas, segundo detalha o museu. Este é o caso de "Nu feminino" (1853), uma imagem do fotógrafo francês Julien Vallou de Villeneuve, que provavelmente inspirou "Mulher com um papagaio" (1866), do pintor francês Gustave Courbet, que mostra figuras do passado "de uma forma surpreendentemente moderna".







No alto, "Reclining Female Nude" (1853), fotografia
de Julien Vallou de Villeneuve; acima, a pintura
"Femme avec un Parrot" (1866), de Gustave Courbet
Mais tarde, no século XX, artistas como o húngaro Brassai, o americano Man Ray e o alemão Hans Bellmer utilizam o nu "como o veículo perfeito para o jogo visual e a prospecção psicossexual", segundo o museu, que põe como exemplo "Distorção #6" (1932), do também húngaro André Kertesz.
"Distorção #6" (1932) - André Kertesz
Entre os fotógrafos contemporâneos, também há trabalhos de Robert Mapplethorpe, Diane Arbus, Garry Winogrand e Larry Clark, entre outros. De Larry Clark a curadoria incluiu na mostra uma imagem sem título que integra “Teenage Lust”, série que ele realizou entre 1972-1973. A imagem de Clark, que está entre as mais recentes apresentadas na mostra, antecipava as cenas fortes e a temática de seu filme mais polêmico, “Kids”, de 1995, que também provocou a ira dos mais moralistas ao abordar sem subterfúgios o avanço da AIDS e a sexualidade de adolescentes e pré-adolescentes em Nova York.

  “Teenage Lust” - Larry Clark
"Ao apresentar um resumo da história da fotografia através das representações da nudez, “Naked before the Camera” provoca para além dos domínios da arte e das fantasias de erotismo. Cada uma das imagens em exposição – mesmo aquelas que sob a distinção de "estudo de artista" enganaram os censores para dar início ao que se tornaria o comércio da pornografia – tem um apelo tão forte que pode levar o espectador a examinar as motivações e os significados sobre o que há de mais humano e que deveria ser o estado mais natural em nossa civilização: a nudez de nossos próprios corpos". José Antônio Orlando Site semioticas

Edward Weston

5.9.12

EM SAMPA AS FOTOS DE 'EVA NEGRA' NUA

Tradicional narrativa bíblica de Adão e Eva é reproduzida de forma inusitada na exposição "Beleza Afro-Brasileira". 
O fotógrafo italiano Giancarlo Mecarelli, 66, fez a produção de uma Eva negra envolta por uma cobra, que se junta a outras 29 fotos de mulheres afrodescendentes nuas. "Sempre tive essa ideia de realizar uma imagem para quebrar com o ícone da Eva europeia, quase que alemã. Quem disse que ela era branca?", diz Mecarelli.
VEJA AS FOTOS CLICANDO AQUI!

1.9.12

OS BLOGUEIROS DO VULVA FUCSIA!


A proposta inicial do blog era “colorir a sua feminilidade”, porém, dadas as revoluções internas de cada blogueir@ que está compondo o quadro de apresentadores, a proposta agora é “sensacionalizar a sua sexualidade”: uma proposta mais abrangente, que é refletir sobre os modelos sexuais impostos onde a maioria das pessoas que conhecemos não se encaixa, não se identifica completamente... Desconstruir preconceitos, tradicionalismos que não colaboram para uma emancipação sexual, para o gozo pleno da sociedade. Mas sem perder a linha, a calma, sendo sexy, e se necessário, sendo vulgar também.
Os artigos variam desde questões ligadas ao sexo propriamente dito, dicas prazamigues leitor@s sobre relações, produtos de sex shop, debate de temas atuais, até mesmo fofocas, dicas de beleza... Somos uma salada mista muito bem temperada!
Também temos um programa de rádio/webtv que rola ao vivo a cada 15 dias no nosso twitter @vulvafucsia onde estreitamos nossos laços com @s VulvExpectadores, onde el@s podem nos ver e ouvir e trocar ideias em tempo real. É a melhor e mais divertida parte do nosso trabalho! Quando damos sorte, até piriguetiamos!


LEO: Vocês criaram o Blog VULVA FÚCSIA em 2008 e ficaram quase sem postar ate março de 2011, o que aconteceu?
@vulvafucsia: Na época, começamos a desenvolver o Blog VULVA FÚCSIA em um projeto de webtv na UERJ, e acabamos deixando o blog um pouco de lado. O programa demandava muito tempo para edição, produção, etc. O blog então ficou em segundo plano. Após esse período nesse projeto, abandonamos o Vulva por um tempo, por ter outros projetos pessoais. Quando decidimos retornar, percebemos que o blog é parte importante, e hoje tentamos atualiza-lo regularmente, mesmo tendo o programa de rádio e webtv.

LEO: Todo mundo ai entende de VULVA FÚCSIA?
VF: Dos 3 apresentadores,  apenas uma possui a vulva biológica. A de VULVA FÚCSIA não necessariamente é para ser entendida, mas para ser discutida, debatida, acariciada, babada e no fim terminar gozada, afinal isso é que é importante.

LEO: Qual o perfil dos leitores do VULVA FÚCSIA e quais são os temas e comentários mais ‘frequentes?
VF: Ficamos impressionados com a variedade de pessoas que acompanham o Vulva. É gente de todo o Brasil, de diferentes idades. Inclusive um fato que nos surpreende é que o público é bem dividido com relação a gênero e ambos os sexos curtem. Também é bacana dizer que o público varia na orientação sexual. Achamos que isso é porque o Vulva tenta ser um programa bem plural, abordamos não só sexo em si, mas também as relações sociais, tentando romper com os padrões estabelecidos, que acabam marginalizando e colocando as pessoas em guetos. Cabe todo mundo no Vulva, rs.
Os comentários e perguntas são referentes sempre à identidade da Vulva, quem está moderando, quem escreve tal coisa... Desculpas para flertar com a vulvete favorita!
Durante o programa é que os comentários bombam, porque o pessoal se envolve com o tema, falando de acontecimentos das suas vidas e trocando experiência, não só conosco, mas também com a galera online que está vendo/assistindo ao programa.

“Toda mulher é vulva fúcsia meu bem! Vulva significa buceta, e Fúcsia é uma cor berrante.”

LEO: O “homo sapiens contemporâneo” é pansexual, bígamo ou esta com saudades da Amélia - aquela que era mulher de verdade?
VF: “A sexualidade é como um oceano: você é que escolhe se vai colocar ela dentro de um aquário.” Nenhuma das opções anteriores. Achamos que ele está preocupado com a sexualidade, coisa que ele não estava antes de todas essas mudanças sociais. E isso envolve muitas outras coisas. Hoje ele tem a liberdade de ser pan, bi (bissexual e bígamo), e pode sonhar de ter sua Amélia, difícil vai ser ele encontrar. No máximo ele pode achar uma mulher realizar esse fetiche. Se ainda hoje ele faz questão da Amélia é porque talvez ele não tenha aprendido a lidar com essa mulher pra frente, essas Vulvas Fúcsias da vida.

LEO: O homem com saco roxo é macho, valente, comedor e como podemos definir uma mulher que tenha a VULVA FUCSIA?
VF: Toda mulher é vulva fúcsia meu bem! Vulva significa buceta, e Fúcsia é uma cor berrante. Seriam bucetas berrantes. A mulher, ela quer falar da sua sexualidade. Ela quer assumir suas escolhas. Independente da forma que ela lida com o sexo, ela pode e quer expressar. Já passou da hora do homem do saco roxo entender que ele não tem que se limitar a esse estereótipo do comedor, desbravador de vulvas, de macho alfa.

LEO: O Vulva aborda temos como sexo, humor, cotidiano, fofoca, e ainda tem um programa de radio... Como vocês dividem as atividades no blog?
VF: Não dividimos melbeim. A gente costuma decidir os temas, as pautas dos programas juntos, e sobre o blog, a gente vai postando conforme a inspiração vem, as notícias aparecem... Não temos uma rotina de postagem.


“Já passou da hora do homem do saco roxo entender que ele não tem que se limitar a esse estereótipo do comedor, desbravador de vulvas, de macho alfa.”

LEO: "Não existe formula para o bom sexo, apenas que seja livre"... Fiquei curioso como é essa "coisa" de Sexo Livre?
VF: É fazer o que está com vontade, se permitir, experimentar coisas novas... É justamente não ter fórmula! Se deixa a Vulva babada tá valendo e tem jogo.

LEO: VULVA FUCSIA mexe com o imaginário dos leitores? Você recebe muitas "cantadas", convites, propostas indecentes?
VF: Mexe muitíssimo rs. Recebemos cantadas de gente de tudo quanto é lugar, até de outros países. Nossa vulvinha peituda seduz e os blogueiros/apresentadores também, rs.

LEO: As pessoas tem ficado muito tempo nas redes sociais, sobra tempo para o sexo real?
VF: Desculpa pra cego é muleta. Quem quer dá um jeito, e galinha que é galinha aprende a nadar pra dar pro pato. A gente percebe pelo nosso público, que é o povo cativo da internê, que sempre tem histórias sexuais babadeiras para nos contar. Já fomos até reconhecidos na Lapa dia desses, ou seja, o povo também sai pra se divertir e ferver na noite.

LEO: Homens adoram pagar por sexo, ir com uns amigos ao "puteiro"... mesmo casado com uma gatissima o cara vai. O que vocês acham disso?
VF: Nem todo homem age dessa forma. Mas para aqueles que agem pode haver múltiplas motivações. Desde realização de fetiches que não são bem aceitos no ‘lar família nuclear burguesa’, pra tomar cerveja ou o cara não tem vocação pra monogamia. Sei lá, são inúmeras possibilidades.

LEO: Fale sobre o programa de rádio do aniversario de um ano... Um programa comemorativo no próximo mês, com direito a superprodução.
VF:  Então, esse ano faz um ano que nós retornamos, e foi um ano muito positivo, com muitas conquistas para o projeto, e tudo isso nos motivou a fazer um programa especial para comemorar essa volta triunfante, com produção mais elaborada, convidados e uma maior interação entre os ‘teleouvintes’ e nós. A Vulva adora uma festa e comemorar com direito a vulvuzela.

@vulvafucsia