29.5.11

FOTOS de DIANA do BBB11 no SEXIMAGEM

Diana Balsini BBB 11 é capa da revista “Sexy” de junho (veja ensaio completo no SeximageM). A modelo foi clicada pelo fotógrafo Daniel Aratangy. Na redação da revista, Diana confessou que foi a grande incentivadora da masturbação feminina dentro da casa do reality show da Globo:
“Algumas meninas da casa começaram a se masturbar depois que eu fiz...recomendei a elas que fizessem sem problemas”.


28.5.11

ARTE ERÓTICA


Arte Erótica -Entre o Sensual e o Obsceno Texto de Charles Narloch

Todas as obras de arte podem ser eróticas, pois o erotismo está nos olhos de quem o vê. Jean-Paul Sartre, em "A Infância de um Chefe", escreve que "é um erro acreditar que existam objetos específicos do desejo sexual e que estes se resumam às mulheres. Tudo pode ser objeto do desejo". Um par de sapatos altos, um vestido transparente, um cavalo, um copo de leite. A nossa mente permite descodificá-los como objectos meramente representativos ou como símbolos eróticos poderosos, capazes de desencadear fetiches quase sempre inaceitáveis pela sociedade. Já é o suficiente para que muitos vejam neles uma obscenidade, numa tentativa irrefreável de negar o exercício do próprio prazer. Como não poderia deixar de ser, são raros os livros que tratam deste assunto sem medo de reproduzi-lo.
É o caso de Arte Erótica, da editora Taschen, editado por Angelika Muthesius com texto de Gilles Néret. O autor explica que não é fácil descobrir e reproduzir obras eróticas. Os próprios artistas e posteriormente seus testamenteiros são os primeiros a escondê-las, dificultando o registro. Os curadores abstêm-se geralmente, evitando expô-las ao público. Em vista disso, o autor elaborou o seu texto em concordância com as obras a que teve acesso. Em cinco capítulos, Néret aborda o assunto com precaução, passando da importância do vestuário ao despir das vestimentas, dos jogos sensoriais à beleza do obsceno na cópula explícita, da Escola de Fontainebleau a Gilbert & George, de Tom of Finland a Marcel Duchamp. Repleto de chamadas para obras literárias e filosóficas, o texto é fartamente ilustrado por reproduções coloridas dispostas em sequência lógica, numa analogia surpreendente. O falso pudor da sociedade hipócrita diante da arte erótica é bem ilustrado no início desse livro por uma passagem de Baudelaire, em Mon coeur mis à nu. "Todos os imbecis da burguesia, que pronunciam as palavras moralidade e imoralidade na arte, trazem-me à memória Louise Villedieu, puta de cinco francos. Quando me acompanhava ao Louvre, ela começou a corar e perguntou-me, perante as estátuas e quadros imortais, como era possível exibir-se publicamente tais indecências..." A verdade é que todos nós – e não apenas Louise Villedieu e os artistas – apesar de tentarmos negar, somos obcecados pelo corpo humano. Há os artistas que destacam o corpo feminino, como Auguste Rodin, Pablo Picasso e René Magritte, manifestando o desejo de modificá-lo, fazendo de seus pormenores, objectos de um fetichismo colectivo, onde peças de vestuário surgem como uma segunda pele. Outros evidenciam o ideal masculino, como Francis Bacon, Andy Warhol e Robert Mapplethorpe. Christo e Jeanne Claude fazem inúmeras alusões antropomórficas às genitálias de ambos os sexos. Os órgãos sexuais que hoje chocam já foram representados com naturalidade por egípcios, persas, gregos, chineses e outros povos. A pedofilia é um tema que atormenta Caravaggio, Agnolo Bronzino, Salvador Dali e Balthus. A obra maneirista "Vênus e Cupido", pintada por Bronzino em 1540-45, ainda escandaliza por mostrar mãe e filho em jogos eróticos, num caso de incesto observado por uma multidão de voyeurs. Mas nem todas as obras eróticas se resumem à presença de símbolos de sugestão. Algumas são totalmente claras, explícitas, retratando a cópula como ideal de beleza e prazer. A maioria delas se resume a obras raras, de Leonardo da Vinci a Picasso. Poucos fizeram desta representação seu tema principal. É o caso de George Grosz, processado por isso na Alemanha, antes de se naturalizar americano, em 1938. O século vinte foi visivelmente marcado por mudanças radicais de comportamento, registadas na arte através do erotismo. O corpo foi transformado em objecto. Bonecas eróticas foram fabricadas em série, como mercadoria de consumo. Alguns artistas, como Hans Bellmer e Oskar Kokoschka, registraram acções perversas com elas. Sobre Kokoschka, sabe-se que por muito pouco não foi preso por ter abandonado no jardim de sua casa uma boneca decapitada que representava sua ex-amada que o abandonara. Entre 1915 e 1918, ele vagueou com sua boneca, para a qual chegou a alugar um camarote na ópera. Numa noite de loucura súbita, Kokoschka partiu o crânio de sua amada sintética, curando-se então de sua paixão infeliz. Schopenhauer já considerava que as manifestações do homem, artísticas ou não, são determinadas pelas tendências sexuais. Isso fica evidente nas obras de arte. O que dizer dos nus masculinos pintados e esculpidos por Michelangelo, que androgenizava as mulheres? Por que ele teria representado símbolos fálicos no tecto da Capela Sistina? Para Freud, "o papel do artista é dar forma aos seus fantasmas e desejos, de acordo com regras estéticas. Tendo atenuado o choque inicial, as obras eróticas podem ser apresentadas aos outros homens que, como o artista, sofrem a repressão de seus desejos." Portanto, cabe ao público a maturidade necessária – que não depende da idade, mas de uma boa resolução de suas questões íntimas – para finalmente poder encarar a arte erótica com tranquilidade e equilíbrio.
*Comentário sobre o livro "Arte Erótica" de Gilles Néret e outras reflexões.


SE VOCÊ TEM VIDEOS XXX CURTOS, DELICIOSOS, SACANAS...NÃO GUARDE SÓ PARA VOCÊ...MANDE PARA
seximaginarium@gmail.com

21.5.11

GAROTOS DE PROGRAMA RESPONDEM:

Relendo uma materia que foi publicada na revista Marie Clarie - Garotos de Programa - Modo de Usar - (leia no Tarja Negra) , surgiu a ideia de aprofundar o tema...fizemos uma proposta as meninas do twitter "Garotos de Programa que saem com mulheres darão entrevista ao SeximaginariuM...o q vc perguntaria a eles?"
Dois Garotos de Programa responderam as duvidas e curiosidades postadas pelas seguidoras do @seximaginarium.

Como foi o seu primeiro programa e como você sacou que poderia ganhar dinheiro como Garoto de Programa - GP?
Beto: Foi uma dona de uma agência de modelos na qual eu sou agenciado, fui fazer umas fotos para uma marca de roupas e ela me convidou pra jantar, na verdade ela não queria jantar... queria me jantar! E ela falou que além dela várias amigas gostariam de sair, fazer um programa... Ainda hoje são amigas de amigas que me convidam para "sair".

Na hora que uma mulher liga para contratar seus serviços quais são as perguntas mais freqüentes?
Guto: Quanto eu cobro, onde eu atendo, e como funciona. Se eu sou totalmente ativo, se realmente é sigiloso. O tempo é relativo, média de 2 horas, mas nunca fico olhando relógio. Dias inteiros e viagens é a combinar.
Beto: Perguntam do tempo, mulher gosta de tempo, por isso eu não estipulo tempo, vamos nos divertir juntos...perguntam o valor, geralmente cobro R$500,00.

Qual o tipo de cliente mais comum " a carente sozinha" ou "a casada mal comida"?
Guto: Eu costumo atender tanto a casada mal comida como aquela que não tem tempo de arrumar um namorado.
Beto: Geralmente casadas, mulheres novas... todo mundo imagina que a mulher que contrata os meus serviços são senhoras de idade, é muito raro alguma mulher acima dos 50 contratar. Buscam realizar fantasias, transar sem pressa, aproveitar, curtir juntos.

Garoto de programa só de mulheres? Existe isso?
Guto: Eu penso assim só saiu com mulheres.

Você realmente sente prazer quando faz programas, ou liga no automático e manda brasa...
Guto: O prazer depende muito da mulher. Geralmete sinto prazer mas ja fiz varias vezes no altomatico e mandei pra dentro.

Você já sentiu nojo de alguma cliente e, se sim, qual foi o motivo?
Guto: Sim teve uma cliente que parecia que tinha uns 2 anos que não depilava fique com muito nojo mas fui profissional.


Qual a situação mais constrangedora que o gato passou?
Guto: Teve uma cliente que enquanto estavamos transando ela menstruou na hora fiquei sem reação ela se levantou se trocou me pagou e foi embora.
Beto: Odeio cigarro teve uma cliente que estava com um cheiro horrivel de cigarro...não consegui fazer nada.

Qual foi a transa mais bizarra?? O fetiche mais louco?...
Guto: Teve um casal enquanto eu estava enrabando a mulher dele ele se masturbava derrepende ele se levantou e queria de qualquer jeito que eu comesse ele! Sem mais nem menos o casal começo a discutir... peguei meu dinheiro e sai vasado rs.
Beto: Bizarra acho que não teve, mas transar no carro, me chupar no carro, tem vários pedidos bem gostosos.

Você já foi passivo (deu o cuzinho) para alguma mulher?
Guto: Nunca e com certeza jamais faria isso.
Beto: Não, mas não tenho restrição, pois sou hetero mas não penso que se for estimulado atrás vou ser gay, isso não significa masculinidade. Gosto de mulher acho que isso que importa.

Para elas tamanho do pau é documento?
Guto: Todo grandão é bobão se vc tem o pau grande sabe fazer otimo agora se vc tem o pau tamanho normal e sabe satisfazer a mulher da na mesma.
As mulheres adoram o tamanho do meu pau 20cm...

É verdade que um GP não pode gozar porque prejudica a performance dos próximos programas?
Beto: Só não gozo se ela não quiser, mas poucas não pedem pra gozar, a maioria adora que goze.

Homem tem a fantasia de transar/estar na cama com duas mulheres, alguma mulher já contratou dois GPS para uma festinha, num mesmo programa?
Beto: Já... e amigas também contratam um só GP.... rsss

Já broxou com uma cliente? lembra porque?
Guto: Ainda não e espero que nunca aconteça rs

O que faz um GP "broxar"? (situações) E já aconteceu de vc literalmente "broxar" OU você é um profissa" não acontece.
Beto: Casal que quer realizar fantasias e querem de bate e pronto...Precisa de um estímulo.
Por isso dou preferência a mulheres sozinhas ou casal de mulheres.

Você precisa de uma "ajudinha" tipo faz uso de estimulantes como viagra, pra ficar com pique e com a pica em dia?
Guto: Não, eu me cuido muito, saúde em dia, exercícios, acho que isso ajuda.

Quais as dicas que vc daria, tipo um manual de instruções para as mulheres não entrarem em fria ao contratarem um GP?
Guto: Se você não gostar do GP que contratou jogue limpo, diga que você espera outra coisa e ponto final.
Beto: Procurem conversar antes pelo telefone ou até MSN, procurem pessoas de bom nível, observar modo de falar, numa conversa você já vê tudo, e NA RUA NUNCA...
eu não conheco nenhum GP de rua, não vivo no meio, mas já ouvi falar de cada coisa...geralmente estão ali na rua pra topar tudo e isso que é perigoso.

19.5.11

UM SÁBADO NO PARAÍSO DO SWING

A antologia “Um Sábado no Paraíso do Swing”, com 40 reportagens e entrevistas reunidas pelo jornalista Miguel Icassati, está de volta às livrarias. O título do livro é de uma reportagem que fiz para Playboy em maio de 1985. Ainda estava no terceiro ano da faculdade, já trabalhava na revista Placar e fazia uns frilas esporádicos para Playboy. O texto é sobre uma chácara em que havia troca de casais – num tempo em que não se falava tão abertamente sobre casas de swing como hoje em dia. Um segundo texto, sobre os bastidores de um filme pornô, também foi selecionado. Só que a honra maior foi dividir as 312 páginas do livro com nomes como Fernando Sabino, Marcos Rey, Eliane Brum, Sérgio Dávila, Jotabê Medeiros, Juca Kfouri, Millôr Fernandes, Paulo Francis, Xico Sá, entre outros craques da literatura e do jornalismo.
Troca de casais, a vida dos astros do cinema pornô, o mundo secreto do sadomasoquismo, o que rola nos corredores dos motéis e dos sex-shops, o clube de hedonismo, o repórter que se fantasiou de stripper, homossexualismo no futebol e até o entrevistado que resolveu tirar a roupa no meio da reportagem. “Um Sábado no Paraíso do Swing” tem textos assinados por um respeitadíssimo grupo de 47 jornalistas e escritores.
Escrever sobre sexo – com elegância e sedução – é um eterno desafio para jornalistas de todas as gerações. Trabalhei dois anos como redator-chefe de Playboy e sei bem o duro (sem trocadilhos, juro!) que os repórteres precisam dar. Quantas vezes não foi preciso se disfarçar de cliente, de vendedor ou até de garçom para trazer aos leitores um retrato fiel de tudo o que acontece num clube de swing, numa praia naturista ou nos bastidores de um filme pornô? É isso que torna esse livro tão saboroso.
Marcelo Duarte
Jornalista e autor da série de livros “O Guia dos Curiosos

15.5.11

MULHERES E O SEXO DESCOMPROMISSADO

Neste mundo contemporâneo mulheres exigentes, realizadas profissionalmente, financeiramente, com casamento morno, buscam cada dia mais relacionamento e sexo sem compromisso.
Essas mulheres afirmam ter dificuldade em encontrar homens interessantes que estejam à altura delas. As reclamações são sempre as mesmas: os caras bacanas quase sempre são gays ou comprometidos.

A arquiteta C. Costa, 48 anos, manteve um casamento conturbado por 23 anos até ser trocada por uma garota vinte anos mais nova que ela. Após meses de depressão resolveu investir em novos prazeres. Apaixonada por casas de dança, C. Costa conheceu dançarinos que também trabalhavam como garotos de programa - GP - e resolveu investir neste tipo de relacionamento, definido por ela como prazer sem compromisso. "Não tenho a ilusão de ter nenhum vínculo mais forte com nenhum destes garotos, mas gosto de ter a liberdade e escolha do meu prazer".
Bruna, casada há 15 anos, cliente fixa de um garoto de programa, procurou o serviço pela primeira vez em 1997. "As mulheres têm que parar de sofrer quando o homem procura prostituta ou trai. Temos os mesmos direitos. Os meninos são carinhosos, sabem fazer coisas que marido não sabe, atingi orgasmos maravilhosos", diz a cliente, que ainda completa. "Estamos no século XXI e temos o direito de ter prazer sexual, carinho e compreensão".
O que impulsionou Bruna a procurar o garoto de programa foi a traição de seu marido. "Meu marido não me dava atenção. Quando me sinto mal por estar na cama com outro, penso no que meu marido me fez. Mas não me separo, Ele é o pai dos meus filhos, temos uma família, apesar dos erros", declara.
Bruna gasta cerca de mil reais por mês com o acompanhante, mas não acha que é muito. "É do meu salário", diz. Por ter casado virgem e jovem, ela achou que deveria ter novas experiências. "É bom, tenho alguém para conversar e me dar carinho. Ele é atencioso, ao contrário do meu marido. Com ele tenho novas experiências", diz.
As aventuras da dentista V. Santana, 42 anos, com garotos de programa não terminou bem. Conheceu um GP em uma festa de aniversário de uma amiga e mesmo sendo comprometida saiu com o cara. "Gastei muito dinheiro nos programas, investindo em algo que não daria em nada. Acabei me apaixonando pelo GP, perdi meu ex-namorado e no final fiquei sozinha e com uma dívida de R$ 3.000,00", desabafou Valéria.
A psicóloga Flaviana afirma que é preciso ter equilíbrio e pensar antes de se envolver com um desconhecido apenas por dinheiro. As mulheres maduras são atraentes e sedutoras, mas, ao buscarem relacionamentos instáveis como no caso dos garotos de programa, tendem a se decepcionar, por não haver o equilíbrio de valores e cultura.

Vida de GP


O administrador de empresas Mario, 23 anos, durante o dia é um homem comum, namora trabalha e ...durante a noite é garoto de programa. "Não considero traição estar com uma mulher diferente a cada noite...Eu não me envolvo, é só sexo e por dinheiro. Se rolasse sentimento, desejo, podia falar que foi traição". afirma o garoto de programa, que diz nunca ter se apaixonado por nenhuma cliente.
Mario conta ainda que entrou nesse ramo por intermédio de uma amiga, que trabalhava como acompanhante em uma agência e sabia que ele estava precisando de dinheiro. "Ela me indicou. Disse que eu devia levar jeito porque gostava da coisa", se diverte. Inicialmente, o gerente tinha um programa por semana. Hoje, depois de seis anos na profissão, tem cliente quase todas as noites.
Com algumas clientes fixas, Mario diz que algumas mulheres o chamam apenas para conversar. "Elas precisam de um acompanhante e encontram em mim o que o marido não faz, que é ouvi-las de verdade, deitar no colo, fazer carinho, sem sexo mesmo", afirma.


Zeus, de 21 anos, que atua na profissão há um ano e oito meses, afirma ter muitas histórias para contar e ri quando se lembra de algumas. "Já me pediram para usar roupas nada discretas (risos). Uma me contratou para ir ate a residência dela. Na hora do amor, ela disse que ficava muito excitada quando ouvia o parceiro gritar incessantemente e naquele dia, eu te juro, berrei tanto, que acabou minha voz (risos), paramos o que estávamos fazendo para eu ir até a sacada respirar (risos)", recorda.
Zeus também enfrentou os pedidos malucos de uma masoquista. “Uma moça adorava sentir dor na hora da relação. Fiz o que ela me pediu, mas ela disse que eu não estava entendendo o que queria dizer. Então ela se levantou, foi até a cozinha e voltou com um rolo de macarrão dizendo que aquilo fazia melhor (risos). Teve também um dia em que uma mulher estava no serviço. Ela trabalhava no setor de contabilidade e me ligou dizendo que precisava terminar vários relatórios até o final da tarde, mas estava tão carente que não conseguia se concentrar. Então, fui até o prédio em que ela se encontrava e fiz o serviço lá”, finalizou.
Eles garantem que sempre usa camisinha em suas relações. "Uso preservativo e sempre faço exame...não posso deixar que nada passe para elas. Mulher é mais tranqüila, nenhuma me pediu para fazer sem", dizem os GPs.

Fonte: Delas; Vila Dois; Marie Clarie; TPM

7.5.11

ENTREVISTA - MIKAELA ex-GP de LUXO


MIKAELA, ex-GP de LUXO, 24 anos, Nasceu e cresceu em São Paulo, adoro essa cidade, pois aqui encontra tudo o que mais gosta: culinárias variada, as melhores bebidas, roupas e sapatos de grifes, (que adora) gente rica, elegante e MUITO safada. No seu blog: "Delírio Intenso dos Sentidos" relata seus encontros sexuais, enquanto ainda era uma GP (garota de programa) de LUXO.
Cada minuto me interessa demais. Tenho certa pressa em sentir tudo. NUNCA me acomodo com o que me incomoda. TRANSO muito, fumo, bebo e falo palavrão: sempre que EU tenho vontade. Faço o que mais gosto e não me preocupo com a opinião alheia. Curto teatro, cinema, a dança, música, boa leitura etc. Etc. Eu VIVO essa porra de vida, sem medo de ser FELIZ. Ah, SEXO sempre moverá o meu mundo. Simplesmente A-DO-RO sexo. Abandonei a minha profissão por um AMOR totalmente correspondido. Agora, eu sou uma ex-GP (garota de programa) de LUXO. Oh yeah! Sou apenas do meu MARIDO. Sim, eu já me CASEI - Janeiro de 2011. “Decifra-me, mas não conclua. Eu posso te surpreender.” (Clarice Lispector)

LEO: Prostituta, Puta ou Garota de Programa - GP?
MIKAELA: Eu poderia responder que tanto faz, pois independente da maneira como a mulher (que vende sexo) é chamada, isso não exclui o fato de que ela vende SEXO. É prostituição. Mas eu era uma GP de luxo. Muitas pessoas dizem que o termo “GP de luxo” é pura frescura, mas uma das diferenças marcantes: é o preço. Não apenas, pois é preciso muito mais. É preciso valer cada $$$ cobrado, fazendo o cliente te desejar cada vez mais, até ficar viciado em você. Ah, sim! O sexo bom vicia.

LEO: Para ser puta precisa ter vocação ou é "um bico temporário"...
MIKAELA: Não basta apenas querer se prostituir. Para vender sexo a mulher precisa primeiro gostar muito de sexo. Precisa ser livre de preconceitos, ser totalmente segura dos seus ideais, além de ser bonita, gostosa, boa de cama, inteligente, esperta e de preferência ser bissexual. Cada parte do seu corpo (cabelo, pele, unhas etc) precisa estar sempre: bem cuidado, assim como a sua saúde. Também precisa saber se comportar adequadamente em qualquer tipo de ambiente, com elegância e senso de humor. A cultura é fundamental, pois muitos clientes não desejam apenas sexo. Muitos desejam a sua companhia em restaurantes caros, festas variadas (da elite), teatro, viagens etc... Ser uma boa ouvinte e saber quando abrir a boca para dar um conselho, também são fatores importantes. Saber deixar os sentimentos de lado, isso é fundamental. E, tudo isso precisa estar em perfeito equilíbrio.
Pode até ser um “bico temporário”, mas ainda assim: precisa se enquadrar em tudo e talvez ainda mais, do que citei acima.


Escolhi essa profissão por motivos óbvios: gosto muito de sexo e de dinheiro, então eu resolvi unir o útil ao agradável. Ser bonita e gostosa facilitou TUDO


LEO: Há quanto tempo você trabalha como garota de programa e por que começou?
MIKAELA: Fui GP de luxo dos 17 aos 23 anos. Parei porque surgiu um sentimento inesperado, o amor, entre eu e um dos meus ex-clientes. Hoje ele é o meu marido.
Sexo sempre fez parte da minha vida, isso desde pequena. Com 10 anos beijei na boca pela primeira vez. Aos 11 anos eu já tinha um belo corpo de mulher, que foi se desenvolvendo ainda mais. Perdi a minha virgindade aos 14 anos, com um estudante de medicina, que tinha na época 21 anos. Eu o desejava e não me arrependo dessa decisão. Como “futuro médico”, ele me ensinou muito sobre: como evitar uma gravidez indesejada e como evitar DST. Namorei com o PHN por mais 3 anos, mas depois terminamos. Ele era rico, pretendia terminar os estudos no exterior. E, eu era apenas uma garota sem sobrenome reconhecido na elite de São Paulo. Rolou uma mágoa que julgo comum, mas passou. Tudo passa nessa VIDA, por isso eu VIVO intensamente cada minuto que posso. NÃO vou culpá-lo jamais pela minha escolha profissional, pois eu decidi ser GP de luxo.
Sou filha única. Meu pai era engenheiro mecânico e a minha mãe é pedagoga (se ainda estiver viva). Eu havia completado 15 anos quando perdi meu pai. Antes de completar 17 anos, minha mãe simplesmente me expulsou de casa. Isso porque ela encontrou na gaveta da minha cômoda: preservativos e um vibrador. Ouvi da minha própria mãe que eu era uma puta, pois não era mais “virgem”. NÃO, ela nem sequer me deixou falar. Eu ainda precisava terminar os últimos meses de colégio, mas isso não a impediu de me expulsar de casa e sem dinheiro algum.
Morei na casa dos pais de uma amiga até terminar o colégio. Aos 17 anos de idade fiz o meu primeiro programa. Logo surgiu o segundo e o terceiro…
Escolhi essa profissão por motivos óbvios: gosto muito de sexo e de dinheiro, então eu resolvi unir o útil ao agradável. Ser bonita e gostosa facilitou tudo, mas é preciso muito mais que isso para ser uma GP de luxo. Costumo dizer que sempre fui infinitas mulheres em um só corpo, em uma só alma. Sempre fui segura e decidida. Traço metas e faço acontecer. Um cliente totalmente “satisfeito” me indicava para outro. Assim, a minha agenda já não tinha mais vaga. Sempre fui muito seletiva e não transava se não sentisse desejo pelo cliente em questão. Criei uma espécie de “ligação especial”, com todos eles. Isso me rendia ainda mais dinheiro, com isso, ainda mais vontade de continuar na minha profissão.

LEO: Por que os homens, mesmo os que têm mulheres deliciosas, maravilhosas, procuram as prostitutas ou garotas de programa?
MIKAELA: Os motivos que os levam a procurar uma GP de luxo: são bem variados. É totalmente pessoal, sendo impossível generalizar. Citarei alguns motivos: o fato de ser exatamente “sexo pago” e “sem compromissos e cobranças” posteriores; a insatisfação sexual com seu atual parceiro (a); a timidez e também a impaciência para conquistar até levar para a cama; alguns complexos com alguma parte do próprio corpo ou com o seu desempenho sexual; o simples fato de que a pessoa adora “pular a cerca” para se auto-afirmar; o gosto por fetiches sexuais, dos quais o parceiro atual não aceita; alguns clientes são bissexuais, mas não tem coragem de se abrir com o parceiro; outros confiam mais em transar com uma GP (recomendada) do que tentar encontrar alguém ao acaso; há aquele que trabalha demais e opta por uma GP, assim ele controla a sua agenda; outros pagam “também” para conversar; outros realizam a fantasia de um ménage à trois (com o atual parceiro sexual, ou com mais uma GP); também existe aquele cliente que é viciado em sexo, mesmo tendo um parceiro sexual que tope tudo na cama: ele quer mais. Enfim, os motivos são muitos.

LEO: As mulheres também te procuram...?
MIKAELA: Sim. Eu tive muitas clientes. Algumas bissexuais e outras homossexuais. Como eu sou bissexual, então sempre topei os programas com mulheres, mas só com aquelas que despertavam o meu desejo. Sempre fui muito mais seletiva na escolha das mulheres.

LEO: Do que os seus clientes gostam: Sexo animal, sexo normal, fio terra ou conversar?
MIKAELA: De sexo mais violento (bondage), sexo normal (oral, vaginal e anal), fetiches variados, “fio terra”, usei muito dildo em homens e mulheres... Dependia do gosto de cada cliente. Nem todos os fetiches eu aceitava. Nunca fiz e nunca farei sexo com animais. É bizarro demais para mim, mas respeito quem curte.



A maioria me considerava uma espécie de “namorada”, inclusive eu ganhava presentes em datas comemorativas e fora delas também.


LEO: E essa coisa que GP não beija na boca pra não se apaixonar...Você já chegou a se envolver sentimentalmente com algum cliente?
MIKAELA: ahaha... Isso é mais um mito, meu querido. Pessoas não conhecem totalmente o universo das GPs de luxo, mas repetem algo tolo que ouviram por aí ou assistiram em algum filme. A maioria dos meus ex-clientes adorava o meu beijo. Exploravam a minha boca, com muito prazer. Alguns pagavam para me beijar até se sentirem saciados. Se apaixonar não depende apenas de estar entre os lençóis e beijar na boca. É preciso muito mais. Eu vendia sexo, apenas isso. Nunca me envolvi sentimentalmente por nenhum cliente, até encontrar o JP, que hoje é o meu marido. Mas muitos clientes se apaixonaram por mim. A maioria me considerava uma espécie de “namorada”, inclusive eu ganhava presentes em datas comemorativas e fora delas também. Com clientes que se apaixonavam, eu só riscava da minha lista de clientes fixos, acaso sentisse que já estava virando uma obsessão, que pudesse vir a me prejudicar. Caso contrário, então eu até curtia o fato de ser a “paixão” de alguém.

LEO: As menina bonitas, universitárias, da classe média, que decide ser garota de programa... Essa é uma forma rápida e "divertida" de ganhar dinheiro?
MIKAELA: Não sei. Depende do que elas chamam de diversão. E, depende de quanto elas são capazes de ganhar dinheiro vendendo sexo.

LEO: Sexo pago é bom porque no final das contas sai mais barato e o cara ainda pode variar?
MIKAELA: Mais barato? Ah, eu te garanto que um programa comigo não saía nada barato. Mas se você pensar que “casar” sai muito mais caro, então aí eu concordo. Evidente que cada GP cobra o seu preço, sempre baseado no que ela pode oferecer e no que os seus clientes podem pagar. Poder variar no sexo é sempre algo bem-vindo.

LEO: Sexo pago é sexo descompromissado, no final não existem cobranças e não se discute a relação.
MIKAELA: Sim e não. Como eu tinha clientes fixos, então nós tínhamos um “vínculo especial”, de confiança mútua. Para tudo nessa vida é preciso certo compromisso. O cliente precisava honrar o valor combinado e também as regras estipuladas antes do encontro. Eu precisava fazer valer cada dígito pago, não julgá-los e ao encontrá-los em qualquer lugar: fingir que jamais o conheci nessa vida. Há compromisso sim, Léo, mas nunca do tipo “ligar” ou exigir “sentimentos”. Aliás, homem odeia mulheres que ligam o tempo todo, que provocam DR por ciúme infundado, que vasculham suas agendas, celulares etc. Eles sabem que vocês fazem tudo isso e detestam. Fiquem espertas, meninas. É só uma questão de tempo para que ele termine com você. [risos].

LEO: Para vc tem alguma diferença entre uma GP e uma mulher que casa por interesse com um cara cheio da grana?
MIKAELA: Aquela que conseguiu se casar é a mais esperta. ahaha...
Estou brincando. Ah, cada qual que cuide da sua vida. Não tenho hábito de ficar julgando e condenando.

LEO: "Procuro as GPs porque sou casado, porém minha esposa fica até um mês sem me procurar, ou me dar uma chance, vivemos bem, muito bem, mas em se tratando de sexo, a coisa fica meio fraquinha". Qual o conselho que vc daria para a mulher desse cara?
MIKAELA: Isso é muito pessoal. Não conheço a intimidade desse casal, então minha opinião será vaga demais. Será que ele manda bem na cama? Será que ela gosta de sexo? Será que os dois têm uma “química” boa entre os lençóis? Será...? São suposições que precisam de uma resposta verdadeira por parte de cada um dos parceiros. Mas um conselho perfeito para qualquer casal: é o diálogo franco. Sem brigas, apenas compartilhando os medos, os gostos, fantasias, desejos, inseguranças etc. O casal precisa se entender como um todo. Isso inclui também a vida sexual.
Eu acho sexo bom demais, não vivo sem. E nunca vou deixar o meu marido sentir falta dos prazeres que eu sou capaz de lhe proporcionar. E vice-versa.

LEO: "Não pago somente para que essas respeitáveis mulheres se desloquem até a minha casa. Pago caro, sim, pela possibilidade de poder mandá-las embora na hora em que eu bem entender”
O que vc acha disso?
Normal. Pagando o valor que já havíamos estipulado e que inclusive já estava depositado na minha conta um dia antes do encontro, então pode me mandar embora: se não desejar mais me ver na sua frente. Sem mágoas. [risos].

LEO: Ainda é comum o homem iniciar sua vida sexual com uma prostituta. Quantos "cabacinhos masculinos" vc tirou? E como é? Um garoto de 14 anos iniciar a vida sexual com uma GP é pedofilia?
MIKAELA: Nunca fiz sexo com menores de idade.

LEO: O que você não faz em um programa?
MIKAELA: Nunca aceitei fetiches bizarros e transar com algum animal. Basicamente aceitava tudo, desde que me desse tesão também. Como já disse, eu nunca aceitei um cliente que não despertasse em mim: desejo.

LEO: Um programa legal é..
MIKAELA: Quando ambos (ou todos os envolvidos) se satisfazem completamente. Gozos, gozos e mais gozos.

LEO: Um programa engraçado foi...
MIKAELA: O cliente que era pastor de uma igreja bem conhecida, que eu não vou dizer qual, mas que TODAS as vezes que transava comigo REPETIA na hora do gozo: - Oh Criador do céu e da terra, eu estou purificando essa alma PERDIDA, que precisa muito ser PURIFICADA.
Com a rola SANTA dele? Sei. risos!!
Confesso que a primeira vez que ele bradou ofegante essa pérola: eu precisei afundar a cara no colchão para conter o meu riso, pois ele falava no SENHOR, e socava o pau TODO dentro da “alma perdida”.

LEO: Um programa que gosto de lembrar...
MIKAELA: Muitos. Relato alguns aqui no meu blog: Delirio Intenso dos Sentidos

LEO: Um que quero esquecer...
Contei no post - “Meus instintos libidinosos: falharam.”

LEO: O ultimo programa foi...
MIKAELA: Foi com o JP, que hoje é meu marido. Nem preciso dizer que foi mais que perfeito. Ser pedida em casamento pelo homem que amo, foi simplesmente sublime.
Hoje, fazemos amor. Ah, isso foi brega, né? Mas o amor nos deixa assim mesmo. E eu adoro tudo isso. risos

6.5.11

PIMENTAS E SEDUÇÕES...


Simbolo do sexo e da sedução...essa simples plantinha vermelha, me faz sentir e fazer grandes loucuras!!!
Bem vou contar aqui uma historinha, verídica, com tempero de pimenta malagueta.
Certo dia estava no escritório e precisava passar umas fotos de um evento, que estavam no meu celular, para o computador Pedi ajuda à um amigo que trabalha comigo, pois, sozinha não conseguia... Ele pegou o cartão de memoria do celular e para minha surpresa quando ele abre as fotos, além das do evento, tinham também algumas fotos minhas bem sensuais, de lingerie, com os seios a mostra, e outras mais explicitas!!!
Ele ficou paralizado em frente ao computador e eu em pé atrás dele sem saber o que falar. Tapei os olhos dele e disse:
- Não olhe, por favor, deixa eu tirar essas fotos dai,
Ele continuou olhando, e dizendo:
- Como nao olhar algo tao lindo...
Ele continuava olhando e rindo com aquela boca maravilhosa que até então eu não tinha reparado e, derrepente, ele me olhou de cima em baixo e disse:
- Puxa não imaginava que por baixo desse uniforme tivesse uma mulher tão sensual assim!
Eu nao conseguia tirar os olhos dele...já estavamos bem proximos um do outro...eu sentia sua respiração se misturando com a minha.


Ele pegou na minha mão levou em direção a ele e disse para sentir o efeito que eu tinha provocado nele...nossa parecia que o mundo tinha parado naquele momento e só tinha nós dois ali. Ele me puxou e encaixou suas coxas junto das minhas e me deu um beijo molhado e prolongado.
Eu não respondia mais por minhas ações e me entreguei aquele momento. Ele colocou a mão entre minhas pernas, eu já molhadinha...ele me colocou em cima da mesa e começamos um longo e prolongado sarro! Nem sei quanto tempo ficamos ali nos esfregando...beijando...
Desci ate o pau dele e coloquei interinho na minha boca...estava duro e babando...nossa chupei com uma volupia doida!!!
Ele agarrava meus cabelos, puxando com força e empurrando cada vez mais pra dentro de minha boca.
Ele colocou sua bela boca na minha buceta...foi um gozo que custei pra segurar e não gritar...ele tem uma chupada...uma linguada...nossa...tudo de bom!
Fiquei de costas na mesa, ele segurou minhas pernas e com toda força me fodeu...dava estocadas com força...ele enfim gozou...gozamos juntos!!!
Não sei como sai da sala dele e cheguei ate a minha mesa. Pouco tempo depois ele veio me dizer que eu tinha esquecido o cartão de memoria na sala dele.
Não consegui olhar no rosto dele, só peguei e agradeci a ajuda.
Depois desse dia, nada foi igual. Ao passar por aquela sala ou ve-lo passando pela minha porta, subia um calor incontrolável! Rssss
Foram varias outras vezes mas isso já é outra historia...
Beijinhos apimentados!!!
Ana Casada

1.5.11

A FAMOSA BUNDINHA DE PIPPA

Casamento Real acontecendo - um evento midiático transmitido para o mundo com a única finalidade de salvar a boa-vida da monarquia Brithânica - a gostosissima noiva Kete Middlenton entra na Abadia de Westminster e... Os holofotes focam a bunda da madrinha do casamento real Philippa Middleton de 27 anos, mais conhecida como Pippa.


A bundinha da irmã mais nova da Duquesa de Cambridge fez tento sucesso que seus fãs abriram uma página no Facebook denominada "Pippa Middleton Ass Apreciation Society" (Sociedade de Apreciação do Traseiro de Pippa Middleton) que, neste momento, já acumulou 40.000 utilizadores e tem até camisetas em "homenagem" a "ass musa".


Esse grupo está longe de ser a única manifestação de 'apoio' a Pippa Middleton, existindo outras páginas na net, uma delas apela ao príncipe Harry para reparar bem na irmã da sua cunhada!

Bem, em matéria de Bunda com B maiúsculo as brasileiras dão (sem tracadilhos) de 10 X 0 nas bramquelas britânicas.

Fazer o que. Cada um tem tesão com o que tem!

AMANTE PROFISSIONAL

Procuramos, para realização de post aqui no blog, historias e depoimentos de MULHERES e/ou HOMENS
que já contrataram os serviços de
Garoto de Programa

Sigilo total!!
Mande com pseudônimo a sua contribuição para
seximaginarium@gmail.com
ou se preferir deixe seu comentario aqui!

Moreno alto, bonito e sensual
Talvez eu seja a solução dos seus problemas
Carinhoso, bom nível social

Inteligente e à disposição
Pra um relacionamento íntimo e discreto
Realize seu sonho sexual

Pra qualquer tipo de transação
Sem compromisso emocional só financeiro
E o endereço pra comunicação
Pra caixa postal do amante profissional

Amor sem preconceito
Sigilo total, sex total
Amante profissional