18.3.08

Puritanismo Burguês

1. Não diga: "Minha buceta .”
Diga: "Meu coração.”
2. Não diga: "Estou com vontade de foder."
Diga: "Estou nervosa."
3. Não diga: "Acabo de gozar como uma louca."
Diga: "Sinto-me um pouco fatigada."
4. Não diga: "Vou masturbar-me."
Diga: "Vou voltar."
5. Não diga: "Quando eu tiver pentelho no cu."
Diga: "Quando eu for grande.”
6. Não diga: "Eu prefiro a língua ao pau”.
Diga: "Só gosto de prazeres delicados.”
7. Não diga: "Entre as refeições só bebo porra”.
Diga: "Sigo uma dieta especial.”
8. Não diga: "Tenho doze consolos em minha gaveta.”
Diga: "Nunca me entendio quando estou só."
9. Não diga: "Os romances honestos me chateiam."
Diga: "Eu gostaria de ter algo interessante para ler."
10. Não diga: “Quando se lhe mostra uma pica, ela se zanga”.
Diga: "É uma original.”
11. Não diga: “É uma menina que se masturba até quase morrer”.
Diga: "É uma sentimental."
12. Não diga: "É a maior puta da terra."
Diga: "É a melhor menina do mundo."
13. Não diga: "Ela deixa-se enrabar por todos aqueles que a masturbam."
Diga: "Ela flerta um pouco.”
14. Não diga: "Ela é uma lésbica raivosa."
Diga: "Elanão flerta de jeito nenhum.”
15. Não diga: “Eu a vi ser fodida pelos dois buracos.”
Diga: é uma eclética!!!
Do manual de civilidade destinado às meninas para uso nas escolas de Pierre Louis.
Escrita em 1917, esta obra teve sua primeira publicação em 1927, dois anos após a morte do autor. Trata-se de uma paródia dos rigorosos e moralistas manuais de educação e boas maneiras utilizadas na Belle Époque. Esta obra é um contundente ataque desferido contra as regras vigentes do puritanismo burguês.

Nenhum comentário: